domingo, 4 de maio de 2014

Mãe!



   


    De repente, me vi bem perto daquele rosto meigo e angelical ,  meio destorcido como se estivesse atrás de uma vidraça embaçada pelo hálito frio do inverno, tão próximo estava, que a vista deformava o sorriso imaculado que me acalmava!



    O cheiro do leite facultava  crédito de contatos antecedentes!  A temperatura do corpo externo na luz, equivalia ao das trevas no interior da matriz, onde eu fora forjado lentamente desde o embrião - quase vida!
                                       
    Mãe,  Divina Criatura!

    Cedeste o seu corpo, doaste seu sangue, nutrientes entornaste como se eu "parasita" fosse, por longos meses, para no final, constituído, me  desaguar sob lágrimas doloridas vertidas de júbilo e fadiga extinta!

    E segui pela vida, continuamente esteada pela presença tangível ou afastada, mas protegida sempre pela sua imagem inesquecível de tranquilidade e vigor!

 
    E como nada é para sempre, um dia você partiu!

    Já faz quatro anos que a fatalidade a que estão sujeitas todas as pessoas e coisas do mundo se cumpriu!

     Aprender a aceitar a perda é tarefa que demanda um esforço excessivo, portanto, impraticável!

     A vocês, que tiveram ou ainda têm suas queridas mães como acabei de descrever, dedico esta postagem acompanhada de um forte abraço!

     A vocês, que tiveram ou ainda têm mães como a de John Lennon, dedico este vídeo com meus lamentáveis cumprimentos!



video

FELIZ DIA DAS MÃES!
Para Sempre
"Por que Deus permite que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento. 
Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça é eternidade.
Por que Deus se lembra - mistério profundo - de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei: Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre junto de seu filho e ele, velho embora, será pequenino feito grão de milho". Carlos Drummond de Andrade.

4 comentários:

  1. Oi, Vitorio!
    Saio daqui emocionada. As nossas mães partiram no mesmo ano e posso imaginar como se sente. Sua mãe foi uma linda mulher! Eu fui na outra postagem e guardei a frase: "Deus não pode estar em todos os lugares e por isso fez as mães". Pensei: E agora que ela não está aqui, como Deus faz? A resposta veio pelos versos de Carlos Drummond.
    Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Oi Luma!
    De fato a emoção é inevitável, desde o momento que eu comecei a digitar minha homenagem para o Dia das Mães. Mas fiz, depois que eu li a sua, carregada de profundo sentimento! Minha mãe nos deixou aos 91 aos de idade e ainda assim, o vazio é grande demais para não tornar esses dias muito tristes. Você captou perfeitamente a intenção da mensagem. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, meu querido Cunhado:
    É quase palpável a emoção que vc transmite nas linhas desta postagem! D Carmen viverá sempre, sim, seu vulto de mulher linda,forte, guerreira permanecerá... envolto em saudade eterna...bj

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, cunhada querida! As mães são sempre eternas! Bj.

    ResponderExcluir

Seu comentário é o que torna especial esta postagem. Enriquece sobremaneira o conteúdo!
Lembrando Saint Éxupery:"Aqueles que passam por nós, não vão sós. Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Obrigado pela visita!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. AVISO LEGAL Todos os direitos reservados. Esta coletânea de textos e imagens são propriedades do autor e estão protegidos por direitos de propriedade intelectual, que não podem ser utilizados em qualquer meio ou formato sem a autorização do autor. Vitorio Nani - 12/06/2010.