segunda-feira, 7 de julho de 2014

"Animais" no Campo!



     Quando o  Brasil conquistou pela primeira vez, o campeonato mundial de futebol, eu tinha treze anos.  O jogador herói em 1958, se tornou o "Rei Pelé", sempre imitado e jamais igualado, até hoje!



     Como todos os brasileiros, tenho meu time do coração e torço muito, por nossas seleções:  de atletas olímpicos, voleibol, futebol...Quando garoto, sempre em companhia de meu pai, assistia jogos no estádio do Esporte Clube Taubaté.

     Na idade adulta, organizei e participei de campeonatos de diversas modalidades de esportes individuais e coletivos, tanto como civil como militar. Sempre incentivei meus filhos a praticarem esportes!  Sofri um grave acidente , praticando esporte aéreo!

     Em épocas de campeonatos mundiais de futebol, vestia uma camisa amarela e comemorava discretamente cada vitória da nossa Seleção!  Entretanto, nesta Copa aqui no nosso país, desde os preparativos dessa jovem seleção, não senti até o momento, a confiança que seremos campeões.


     No dia da abertura dos jogos, reunido aqui na minha casa, com alguns amigos, meus filhos e netos, assisti ao início desta "Copa das Copas".  Mal teve início a partida e o Neymar Jr, maldosamente, agrediu um jogador da Croácia, com uma cotovelada no rosto, levando o primeiro cartão amarelo da Copa FIFA 2014.  Em quase todos os jogos, o que temos visto, é um festival de pancadaria - muita violência e pouco futebol!  Os conflitos nos jogos têm sempre inicio no gramado, entre os artistas milionários da bola, que mais parecem animais raivosos: rosnando, mordendo...


     Cronistas e especialistas em futebol, dizem que os juízes estão instruídos pela FIFA a não agirem com muito rigor nas partidas!  Seria porque a Copa está sendo realizada num país sul-americano, onde é disputada a "Libertadores da América'', um dos campeonatos mais violentos do futebol?  O  bom futebol jamais poderá perder para a violência!  Neymar Jr, nosso melhor atleta,  vítima de seu próprio "jogo desleal" - sobre quem repousava muita esperança na conquista de mais um troféu - agora fora de combate, poderá sentir ao menos, o alívio por retirar de seus ombros, a obrigação da conquista!

     "A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota". Jean-Paul Sartre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é o que torna especial esta postagem. Enriquece sobremaneira o conteúdo!
Lembrando Saint Éxupery:"Aqueles que passam por nós, não vão sós. Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Obrigado pela visita!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. AVISO LEGAL Todos os direitos reservados. Esta coletânea de textos e imagens são propriedades do autor e estão protegidos por direitos de propriedade intelectual, que não podem ser utilizados em qualquer meio ou formato sem a autorização do autor. Vitorio Nani - 12/06/2010.